Febre amarela no Brasil: OMS atualiza recomendação para estrangeiros

Margaret Chan, diretora-geral da OMS: a entidade tem sido cada vez mais cautelosa em relação aos surtos de febre amarela no Brasil (Foto: Chatham House/Wikimedia)
Margaret Chan, diretora-geral da OMS: a entidade tem sido cada vez mais cautelosa em relação aos surtos de febre amarela no Brasil (Foto: Chatham House/Wikimedia)
Turistas internacionais vindo para os estados de SP e RJ agora devem se vacinar antes de embarcar

A OMS (Organização Mundial de Saúde) alterou sua recomendação sobre vacinação contra febre amarela para estrangeiros vindo para São Paulo e Rio de Janeiro. Nessa segunda-feira, dia 20, a entidade anunciou que esses turistas devem se vacinar contra a doença antes do embarque.

Em São Paulo, a orientação vale para todo o estado com exceção da região metropolitana da capital e da cidade de Campinas. No caso do Rio de Janeiro, além da capital, o município de Niterói também não faz parte da recomendação.

Em um dos trechos de comunicado, o texto diz que “desde 16 de março de 2017, a transmissão do vírus da febre amarela continua a se expandir em direção à costa Atlântica do Brasil em áreas não consideradas sob risco anteriormente (…) casos foram confirmados no estado do Rio de Janeiro e ocorrências epizoóticas e em humanos estão sendo investigadas em São Paulo. Esses registros são coerentes com o aumento da atividade da febre amarela em outros estados (Espírito Santo e Minas Gerais) que compartilham o mesmo ecossistema: florestas tropicas e subtropicais.”.

Para o Estadão online, o infectologista Marcos Boulos disse que “não vê atualmente motivo para vacinar a população do litoral”. Segundo Boulos, que é coordenador de Controle de Doenças da Secretaria de Saúde de São Paulo, “não há, até o momento, nenhum indício de risco de febre amarela naquela região”.

O anúncio da OMS foi feito no mesmo dia que o Ministério da Saúde assumiu, em um dos seus boletins, que em 2016 “havia uma grande proporção de municípios que estavam com baixas coberturas vacinais. Este fato pode ter contribuído para a rápida expansão da doença, contribuindo para a disseminação para as áreas sem recomendação de vacinação, expandindo para municípios do Estado do Rio de Janeiro e Espírito Santo.”.

De acordo com o boletim do Ministério da Saúde divulgado dia 20 de março, o Brasil contabiliza 448 casos confirmados – desse total, 144 são óbitos. Até essa data, os estados brasileiros com casos notificados de febre amarela e a respectiva quantidade de municípios com presença do vírus em cada um deles são: Goiás (5 cidades), Tocantins (7), Bahia (8), Rio Grande do Norte (1), Espírito Santo (47), Minas Gerais(93), Rio de Janeiro (2) e São Paulo (25).